Confederação Brasileira de Futebol 7
Nota Oficial - 24/02/2019 às 18:53:36
NOTA OFICIAL: CASO MARIA CLARA
A CBF7 posiciona-se sobre "caso Maria Clara" e tira dúvidas em relação a casos futuros

Por GUILHERME PEDROLLI
BELO HORIZONTE, MG
Confederação Brasileira de Futebol 7 (Foto: CBF7)
Considerando o elevado grau de interesse no crescimento da modalidade de Fut7 em todos os níveis de participação, independente do gênero;

Considerando a necessidade de modulação e orientação para as entidades filiadas, no que tange a participação de atletas de gêneros mistos em competições;

Considerando a necessidade de se refutar qualquer referência preconceituosa que, porventura, nos é dirigida;

Considerando ainda que a CBF7, como Entidade Máxima Nacional da modalidade, tem o dever de dirimir dúvidas, casos fortuitos ou omissos quanto às normas gerais do esporte, SEMPRE que envolvam a prática do Fut7;

Resolve:

A questão da participação de um atleta do gênero feminino em competições de atletas do gênero masculino, impõe a análise e a valoração de alguns pontos.

Inicialmente, registre-se que não há por parte da CBF7 nenhuma norma ou recomendação restritiva, cabendo a cada uma das suas filiadas, em seus regulamentos internos de competições, estabelecer a possibilidade de formação de uma equipe mista.

No entanto, deve se observar que a possibilidade de um atleta do gênero feminino participar de uma equipe, predominantemente formada por atletas do gênero masculino, implica no reconhecimento da ordem inversa; ou seja, um menino participar de competições com predominância de atletas do gênero feminino, colocando a integridade física delas em risco.

A preocupação maior será sempre com a preservação da integridade física e moral da atleta, diante do possível desequilíbrio físico existente entre os gêneros, principalmente nas categorias de base, e até mesmo para a preservação da atleta, no aspecto de buylling, fato comum entre jovens que ainda não alcançaram a maturidade necessária para o melhor entendimento sobre o tema.

A nossa recomendação é de que se admita que meninas sejam inscritas em categorias masculinas quando os participantes conseguem provar a insuficiência de atletas para formação de um time feminino ou quando o regulamento da competição não prevê categorias em todas as faixas etárias para as garotas. A atleta, nestas hipóteses, não pode pagar pela falta de atenção e incentivo ao “futebol feminino”.

A compreensão da CBF7 é de que o esporte, como um processo de construção de identidade, autonomia e autoconfiança, deve abraçar os talentos espalhados por todos os cantos do Brasil, respeitando a diversidade.

O nosso desejo é de que todos tenham a oportunidade de se aperfeiçoar, crescer e competir. 

A CBF7 realiza competições nacionais entre equipes do gênero feminino e mantém ativa, permanentemente, a SELEÇÃO BRASILEIRA FEMININA, que muito nos orgulha, registrando ainda que repudia qualquer tipo de preconceito de gênero ou de qualquer outra natureza.

PRESIDÊNCIA
CBF7
publicidade